quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

PRECISAMOS ELEGER REPRESENTANTES QUE APRESENTEM E DEFENDAM OS PROJETOS DOS SERVIDORES DO SISTEMA PRISIONAL E SOCIOEDUCATIVO

Amigos(as) Albert Einstein estava certo quando disse que “Nada acontece até que algo se mova”.

Muito se fala e várias leis são aprovadas em benefício do infrator, investimentos gigantescos são destinados para o seu retorno a sociedade (ressocialização e reintegração). Os políticos esquecem que em toda prisão e centro de internação têm que ter a pessoa que custodia o recuperando, sendo essa função exercida pelo agente de Segurança Prisional e socioeducativo.

Poucas pessoas conhecem a realidade dos profissionais que executam esse trabalho primordial para a sociedade. Esse profissional que influencia positivamente nesse processo extremamente importante na execução da pena, mostrando que o Sistema Penitenciário e Socioeducativo é essencial para a segurança da Sociedade.

Vários projetos inovadores estão sendo repensados, estudados e para ser implantados no sistema, infelizmente dependem de vontade política dos representantes do povo.

Cabe ao legislativo e o executivo fazer muito ainda em prol dessa categoria profissional, pois o trabalho dos agentes é de grande valor numa sociedade onde as unidades prisionais e socioeducativas fazem parte de um sistema de política pública.

É de se lamentar quando vamos na ALMG ou no CONGRESSO NACIONAL e notamos o descaso e a falta de boa vontade política de alguns deputados com nossos projetos. Esquecem de incluir nas votações os projetos daqueles que realmente trabalham do alvorecer ao anoitecer ou vice-versa para que tantos outros possam viver com tranquilidade e segurança.

Fica a pergunta: quantos políticos que não são da nossa classe ainda precisaremos eleger, para enxergamos que da forma que hoje está não funciona?

 Está chegando a hora de escolher os nossos representantes políticos. Estamos cansados de esperar boa vontade de deputados descompromissados com nossa classe e algo temos que fazer para mudar essa realidade antes que o barco afunde de vez, como já estamos acostumados a ver todos anos.
Apesar de todos os desencontros, de todos os obstáculos, das dificuldades estamos vivendo tempos de mudanças e estamos avançando velozmente para uma nova era de percepção e consciência dos agentes.

É urgente a necessidade de unirmos e eleger UM REPRESENTANTE para a Câmara dos Deputados em Brasília e UM para Assembléia Legislativa de Minas Gerais. 

REPRESENTANTES QUE APRESENTEM E DEFENDAM OS PROJETOS DOS SERVIDORES DO SISTEMA PRISIONAL E SOCIOEDUCATIVO.

Sei que este é um tema polêmico e pode gerar controvérsias quanto a nomes que poderão nos representar, mas o candidato sendo eleito deverá abraçar nossa causa, estabelecendo o compromisso de levar o clamor da nossa classe, assumindo o compromisso que será firmado na campanha eleitoral para toda categoria. Caberá a cada um de nós a missão de fiscalização das ações de nossos representantes.

Nosso representante deve preocupar com o que fala, não fazendo promessas que não possa cumprir e que não se venda e nem venda a classe, que não se acovarda, pois, com esta atitude ele vai ser respeitado pelos seus representados.

Que preocupe com os contratados, porque no Estado de Minas Gerais muitos Agentes trabalham em regime de contratação com cláusula de dispensa unilateral, demonstrando que necessita-se urgentemente de concurso público com provas e títulos. É fato conhecido por todos é que o sistema prisional e socioeducativo do país está absolutamente defasado de agentes.

Não deixe na gaveta a nossa Lei orgânica do Sistema Prisional de MG. Os agentes penitenciários reivindicam uma política de cargos e salários enquanto motivação e valorização profissional, bem como para garantir que àqueles que venham a assumir cargos na direção tenham formação de base, que seja um funcionário de carreira dentro dos Sistemas penitenciário e socioeducativo e que conheça o sistema por dentro.

Que cobre a aprovação da aposentadoria especial tal como prevê a Lei para as profissões de caráter perigoso penoso e insalubre ( PL 155 e 154), nós agentes penitenciários e socioeducativos juntamente com a Polícia Civil e Militar fazemos jus a essa modalidade de aposentadoria, porque também somos operadores da segurança pública.

Que Preocupe com o crescimento dos distúrbios psíquicos dos servidores que lidam diretamente com os detentos, adoecemos pelo desgaste da profissão devido ter diariamente ameaças de presos. E a pressão está cada vez maior com a situação de crise em que se encontra o sistema prisional Brasileiro.
Crie projetos ampliando as ações de Saúde e Segurança do Trabalho, visando ao desenvolvimento de um programa de Gestão da Saúde e Segurança, desenvolvendo um quadro de possibilidades de políticas de segurança e medicina do trabalho para o desempenho do trabalho penitenciário, crie programa de acompanhamentos a doenças do trabalho ( São comuns internamentos, afastamentos para tratamento de saúde).

Um representante que cobre URGÊNCIA NA SOLUÇÃO dos casos de atentados sofridos pelos agentes, (são vários incidentes com detentos, alguns chegando até a assassinados de agentes, fora e dentro de presídios onde falta condições de segurança para que os agentes penitenciários possam realizar seu trabalho legítimo sem temer pelo seu bem estar físico e psicológico).

As ameaças e assassinatos de agentes penitenciários precisam ser respondidos pelo Governo de forma exemplar, caso contrário, o Estado perderá completamente o controle das prisões. Os detentos e seus comparsas devem ter clara consciência de que o Estado vai agir imediatamente para punir qualquer tipo de ameaça contra seus servidores, fazendo cumprir a Lei nº8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe para que os crimes praticados contra agentes da lei sejam considerados crimes hediondos e tenham suas penas aumentadas no Código Penal.

Deve preocupar também com os muitos agentes que estão tendo péssimas condições no local de trabalho, sendo necessário desenvolver pesquisas relacionadas com a promoção das melhorias das condições de trabalho e impor as restrições de segurança que se fizerem necessárias para assegurar que os presos não fujam da custódia legal e que as prisões sejam lugares seguros, onde todas as pessoas envolvidas possam realizar seu trabalho legítimo sem temer por seu bem estar físico.

Preocupe com a necessidade de especialização e qualificação dos profissionais que lidam diretamente com os detentos.

Para obtermos sucesso não devemos nos dividir em grupos de 20 ou 500 ou 1000 e sim precisamos ser milhares, afinados no mesmo pensamento.

Sugiro que aconteça assembleias com presença de todos agentes e futuros agentes, onde os agentes que serão candidatos, terão espaços para expor suas propostas de projetos de melhorias para nossa classe.
  Certamente é um passo gigantesco a ser dado em relação a uma maior independência dos Agentes Penitenciários e Socioeducativos, mas é necessário que comecemos aqui esta jornada e caminhar firmes rumo ao sucesso de nossos objetivos, e que começa com os agentes votando e escolhendo o candidato certo para ter nosso apoio nas eleições deste ano.

“Na democracia ou na ditadura, quando a gente olha a história do Brasil, vê sempre a categoria vencedora é a que unida mobiliza em buscando melhorias”.

ABRAÇO A TODOS AGENTES QUE ACREDITAM NO CRESCIMENTO DO SISTEMAS PENITENCIÁRIO E SOCIOEDUCATIVO.

CHAS1000


Nenhum comentário: