sábado, 6 de maio de 2017

Áudios com possíveis ataques contra agentes do Ceresp em Juiz de Fora são investigados

Áudios com possíveis ataques contra agentes do Ceresp em Juiz de Fora são investigados
PM registrou ocorrências de agressão e ameaças. Secretaria de Estado de Administração Prisional diz que caso ficará por conta da Polícia Civil.
Por G1 Zona da Mata
A Polícia Civil em Juiz de Fora vai investigar uma divulgação de dois áudios com ameaças de morte e possíveis ataques contra agentes prisionais em serviço do Centro de Remanejamento de Sistema Prisional (Ceresp).
Os áudios foram descobertos na noite desta quinta-feira (4), quando um agente penitenciário de 24 anos procurou a Polícia Militar (PM) relatando que a Central Integrada de Escolta Prisional recebeu a informação dos áudios em grupo de Whatsapp.
Segundo a PM, um dos áudios informa a existência de um plano arquitetado para tal ação, sem descrição de como seria. Eles dizem que grupos rivais deixem as diferenças de lado e se unam para efetuarem o ataque. O suspeito de fazer os áudios ressaltou na gravação que está à disposição de matar, traficar, assaltar, sequestrar e entre outros crimes.
As gravações informam que a motivação seria vingança da morte de um detento do Ceresp dentro da unidade prisional. A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), disse em nota, que este caso ficará por conta da Polícia Civil.
Agressão
Ainda na manhã dessa quinta-feira, a PM registrou agressões de um agente penitenciário de 32 anos, contra um detento de 30 anos na Penitenciária José Edson Cavalieri em Juiz de Fora. De acordo com o relato do agente, ao tentar levar o detento para a cela, que estava no Núcleo de Saúde da unidade, ele se recusou a voltar, sendo necessário o uso de força física para imobilizá-lo.
De acordo com ele, antes da mobilização o detento mordeu o antebraco, sendo necessária a intervenção de mais dois agentes penitenciários. O solicitante que acionou a PM é um advogado que diz ter visto o agente agredir o detento a socos.
A Seap confirmou a ocorrência e disse que o preso foi submetido à Comissão Disciplinar da unidade em razão de uma indisciplina cometida contra um agente penitenciário. Além disso, informou que ambos foram conduzidos à Polícia Civil para exame de corpo de delito, onde foi comprovada a agressão.
Segundo a Polícia Civil, no caso de lesão corporal foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e o caso será encaminhado para a 5ª Delegacia Regional.

Nenhum comentário: