terça-feira, 16 de maio de 2017

Agentes penitenciários vão paralisar atividades por 48 horas

Mobilização é contra a PEC 287 e acontece em todo o país a partir de sexta-feira
http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2017/05/agentes-penitenciarios-vao-paralisar-as-atividades-por-48-horas-em-todo-o-pais_33352.php

Agentes penitenciários de todo o país irão paralisar as atividades por 48 horas a partir da próxima sexta-feira (19), suspendendo a realização de diversos serviços nos presídios, como visitas, banho de sol, atendimento aos advogados, recebimento de presos, entre outros. A mobilização é contra a aprovação da PEC 287 (Reforma da Previdência) e a favor da PEC 308, que trata da criação da Polícia Penal. Os agentes penitenciários de Alagoas vão aderir ao movimento. 
De acordo com o diretor da Federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários (Fenaspen), Vitor Leite, a categoria reivindica os mesmos benefícios que os militares terão na reforma da Previdência proposta pelo Governo Federal.
"Eles só nos tratam como força de segurança quando é pra falar de greve, como naquela decisão do STF [Supremo Tribunal Federal] que determinou que nós não poderíamos deflagrar greve. Mas para a reforma previdenciária, nós temos um tratamento diferente", explicou.
Sobre a PEC 308, que institui a criação da Polícia Penal, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen/AL), Kleyton Anderson, explica que o objetivo é criar uma "instituição" que valorize o sistema penitenciário no Brasil, assim como as demais polícias.
"Com a criação da Polícia Penal, o sistema penitenciário passaria a ser mais valorizado, com mais investimentos, criação de carreiras para os agentes (no caso policiais), entre outros benefícios, e a categoria passaria a fazer parte do Artigo 144 da Constituição", explicou.
Segundo Kleyton, a adesão será de 100% dos agentes penitenciários alagoanos e os serviços não essenciais deixarão de ser realizados.

Nenhum comentário: