terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tumulto no presídio da cidade de Araxá

Redução do fornecimento de café em Araxá causa tumulto entre detentos

Informação é de juiz criminal que esteve no local nesta segunda-feira (13).
Direção abriu investigação para apurar causas do princípio de motim.

Do G1 Triângulo Mineiro

Inauguração Celas Araxá Presídio (Foto: Reprodução/TV Integração)
Tumulto foi motivado pela redução no fornecimento
de café, diz juiz (Foto: Reprodução/TV Integração)
O juiz responsável pela Vara Criminal de Araxá, Renato Zouain Zupo, informou ao G1 nesta terça-feira (14) que o presídio da cidade registrou um tumulto generalizado nesta segunda-feira (13). Os detentos gritaram palavras de ordem de dentro das celas contra a redução do fornecimento de café. Não foram registradas agressões.
De acordo com a Secretaria de Administração Prisional (Seap), o princípio de motim foi controlado por agentes de segurança e não houve danos ao patrimônio. A direção do presídio abriu uma investigação preliminar interna para apurar as causas.
Segundo o juiz, cerca de 370 presos participaram do tumulto ocorrido pela manhã. Renato Zouain Zupo disse que esteve no presídio e que a confusão se deu porque o Estado fornecia 200 gramas de café por preso ao dia e agora fornece apenas 100 gramas de café por pessoa ao dia.
"Foi uma manifestação legítima. Não houve comunicado sobre essa redução. Garanti a eles que conseguiria a bebida através de doações de empresários locais para suprir essa cota que falta. Ao que parece, o Estado não sinaliza a regularização da situação e, por isso, vamos doar enquanto for possível. Isso significa cerca de 40 quilos de café por semana", afirmou.
Superlotação
Além do tumulto generalizado pela redução no fornecimento de café, o presídio enfrenta outros problemas como a superlotação. Em janeiro deste ano, a Defensoria Pública de Araxá protocolou uma Ação Civil Pública que pedia a interdição parcial do Presídio Regional da cidade. São 128 vagas para cerca de 370 presos atualmente, segundo a Defensoria Pública.

A Seap disse na ocasião que a superlotação é uma realidade dos presídios em todo o país. E que, em Minas Gerais, a Seap está realizando esforços no sentido de minimizar o problema por meio de ações como a disponibilização de novas vagas, com a inauguração de quatro unidades, o que irá gerar 1.120 vagas neste ano.
De acordo com informações repassadas pela administração do Presídio Regional, há 17 celas que comportam em média oito presos cada. Há ainda duas especiais para presos com curso superior e uma íntima
.

Nenhum comentário: