quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Áudio - Preso manda matar agente penitenciário

Preso em Roraima manda matar agente penitenciário em áudio

Um detento da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo ligado a uma facção criminosa planejava a morte de um agente penitenciário em Roraima. Em um áudio interceptado pela Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) e divulgado nesta quarta-feira (22) o preso dá as orientações para um comparsa executar o plano. (ouça no link  http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2017/02/preso-em-roraima-manda-matar-agente-penitenciario-em-audio-ouca.html).
"Um agente penitenciário, dá da gente pegar ele legal, tá ligado, mano? A gente pega ele traquilo, tranquilo. 'Vamo' tá jogando na tua mão uma 9 carregado [pistola 9mm], uma camisa [colete], e uma granada. E vai outro mano aí contigo para desenrolar esse baratinado [a ordem de matar]" (SIC), diz o áudio.
O suspeito de receber as ordens foi preso nesta quarta com mais dois integrantes da mesma organização criminosa. O trio foi localizado em ação conjunta da Dicap e Força Tática da Polícia Militar. Conforme a divisão, o grupo também planejava matar policiais militares.
Segundo a Dicap, Francisco Delvani, o 'Kabeça', de 31 anos, seria o responsável por matar o agente. Ele foi preso com Renato Santos, apelidado de 'Pinto', de 29, e Francisco Bezerra, conhecido como 'Ceará', de 32, no bairro Caetano Filho, Centro de Boa Vista.
A investigação se iniciou após um celular ter sido apreendido em durante revista na penitenciária.O aparelho foi enviado aos órgãos de inteligência que identificaram os supostos criminosos que tramavam as mortes. Dois da mesma organização foram presos na segunda (20).
Suspeitos foram presos no Centro de Boa Vista (Foto: Dicap/Divulgação)
Suspeitos foram presos no Centro de Boa Vista
(Foto: Dicap/Divulgação)
"Continuamos a investigação e hoje [quarta] prendemos mais três da organização que planejavam os assassinatos aos policiais e agentes. Ele foram reconhecidos após serem trazidos para a Dicap", diz Roney Cruz, chefe da unidade de captura.
Os três suspeitos, afirma Roney, estavam sem identidade na hora da abordagem, mas foi possível identificá-los. No momento da prisão, todos os três deram nomes falsos para enganar os policiais.
Conforme a Dicap, Francisco recebeu liberdade condicional há quase três meses. Ele já responde por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.
Bezerra estava foragido da Casa do Albergado desde abril de 2016 onde cumpria pena por roubo. Renato também era considerado fugitivo da mesma unidade prisional onde abandonou cumprimento da pena por tráfico em novembro de 2015.
Os policiais descobriram o endereço onde o trio mantinha a base para organizar ataques e apreenderam duas armas de fogo, uma espingarda e 52 munições de pistola .40.
O trio foi levado para o Departamento de Operações Especiais da Policia Civil (Dopes) onde foram autuados em flagrante por tráfico, organização criminosa, posse ilegal de arma de fogo e por atribuição falsa de identidade à autoridade.
A Dicap segue investigando a organização criminosa. O agente penitenciário foi identificado e está sob proteção do estado.

Nenhum comentário: